quinta-feira, 16 de março de 2017

Plantando nativas dos Açores nas Furnas

Ontem, dia 14 de março, a equipa do Centro Ambiental do Priolo (CAP) esteve nas Furnas numa atividade diferente que juntou várias turmas da Escola Básica 1, 2, 3/JI de Furnas numa plantação de espécies nativas e endémicas dos Açores. Esta atividade resultou de uma parceria entre a SPEA (Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves) e a Azorina  - Soc. Gestão Ambiental e Conservação da Natureza SA, está integrada no programa escolar do Centro Ambiental do Priolo e contou com o apoio da Agência Melo.
© Ana Mendonça

© Ana Mendonça

Esta atividade teve como principal objetivo sensibilizar os alunos participantes para a importância da conservação da floresta Laurissilva dos Açores e do Priolo e desta forma comemorar o dia Mundial da Floresta que se celebra no dia 21 de março. Isto foi conseguido através da plantação de espécies nativas e endémicas da Floresta Laurissilva dos Açores, numa área de um antigo Pomar de Frutos das Furnas, recuperado no âmbito do projeto  POBHLF, desde 2008.

Os 33 alunos participantes tiveram então oportunidade de conhecer este pomar com 2,5 hectares e provar alguns dos produtos que ai se produzem e iniciaram a plantação em três patamares criados para recriar zonas baixas, médias e de alta altitude ainda na parte da manhã, com plantas cedidas pelos Viveiros de Produção de plantas nativas e endémicas do projeto LIFE+ Terras do Priolo e pelos viveiros do Pomar.
© Ana Mendonça

À hora de almoço, o grupo foi presenteado com uma sopa tradicional cozida nas fumarolas deste pomar, oferecida pelos técnicos deste pomar e consistindo apenas de produtos ai produzidos.

Na parte da tarde, e de mãos à obra novamente, os alunos concluíram a plantação com cerca de 400 plantas de diversas espécies nativas entre as quais algumas endémicas como é o caso do Cedro-do-mato (Juniperus brevifolia), folhado (Viburnum treleasei), urze ( Erica azorica), patalugo ( Leontondon sp.) , sargaço ( Luzula purpureosplendens), entre outras. 

A equipa da SPEA agradece a participação da Escola Básica 1,2,3 /JI das Furnas, dos docentes e alunos participantes e de todas as entidades que contribuíram para tornar esta ação de voluntariado um sucesso.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

De mãos nos ossos em Ponta Garça

No passado dia 10 de fevereiro, a equipa da SPEA Açores do Centro Ambiental do Priolo (CAP) deslocou-se à Escola Básica Integrada de Ponta Garça para desenvolver a atividade "De Ossos nas Mãos" com duas turmas do 5º ano. Esta atividade foi realizada no âmbito do projeto LIFE Terras do Priolo e contou com a participação de 27 alunos.

Na primeira parte da atividade os alunos assistiram a uma palestra sobre as aves comuns dos Açores e a morfologia dos seus ossos assim como de algumas das suas diferenças de outros grupos animais. Foram abordados conceitos como evolução, adaptação e a importância destes processos e os seus papéis na criação de todas as espécies (animais, plantas, etc) e biodiversidade que conhecemos no mundo atual. Para permitir uma melhor compreensão foram utilizados ossos de outros grupos animais como é o caso de um crânio de um gato doméstico ou de um coelho bem como uma coleção de penas (plumoteca).

Depois, os alunos realizaram diversos jogos práticos onde tiveram que identificar algumas aves dos Açores, assim como alguns crânios, penas e ossos com a ajuda de diversas fotografias e ilustrações e ainda diversos ossos de espécies de aves dos Açores como o milhafre, pombo, estorninho-malhado, bufo pequeno de orelhas, galinhola, gaivota, entre outros.

Esta é uma forma diferente de ensinar e permite que os alunos com “ as mãos nos Ossos” aprendam conceitos que de outra forma que não seria possível sem estes materiais.

A equipa do CAP agradece a todos os professores e alunos que estiveram presentes nestas atividades, pelo interesse demonstrado e pela colaboração.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

"Aves da minha escola" na Povoação

Ontem, dia 01 de fevereiro, a equipa do Centro Ambiental do Priolo (CAP) deslocou-se mais uma vez à Escola Básica JI da Lomba do Botão, na Povoação, para desenvolver a atividade "Aves da minha escola" com alunos desde o ensino pré-escolar ao quarto ano, no total 26 alunos.

Esta atividade tem como objetivo a construção pequenos comedouros, reutilizando diversos materiais. Pretende-se, ainda, que os alunos para além de participarem na sua construção, passem a observar ativamente as aves mais comuns nas suas áreas de residência, envolvendo não só a comunidade escolar mas também as suas famílias com a colocação dos seus próprios alimentadores nas suas casas e quintais.

A equipa da CAP realizou uma pequena palestra sobre algumas aves comuns que podem ser observadas na área, como é o caso do pardal, o tentilhão, o estorninho, o pintassilgo e o canário. Foi ainda instalado um comedouro na escola e dada a tarefa a cada turma participante de identificar as espécies de aves que o visitam, em especial a ave que foi atribuída a cada turma. 


A equipa do Centro Ambiental do Priolo agradece a todos os professores e alunos que estiveram presentes nestas atividades, pelo interesse demonstrado e pela colaboração.

O nosso muito obrigado e boas observações.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Centro Ambiental do Priolo leva "Jaime" à Povoação

No passado dia 18 de janeiro, a equipa do Centro Ambiental do Priolo (CAP) deslocou-se à Escola Básica JI da Lomba do Botão, na Povoação, para desenvolver a atividade "O Conto do Jaime" com três turmas, do pré-escolar ao quarto ano.

Esta atividade marca o inicio do Programa Escolar do CAP no 2º período. 

A atividade "O Conto do Jaime" consiste em contar a história do Priolo Jaime, um jovem Priolo que parte numa aventura para descobrir a Serra da Tronqueira e a Floresta Laurissilva. Nesta atividade tivemos a participação de cerca de 29 alunos com idades compreendidas entre os 4 e os 9 anos.




"O Conto do Jaime" não consiste apenas em contar uma história, as crianças também participam ativamente na história, através de gestos e sugestões de forma a dar maior vida ao conto. Para além disso, pretende transmitir conhecimentos que depois podem ser utilizados pelos alunos no seu dia-a-dia, nomeadamente o Priolo, o sítio onde vive e algumas das plantas que fazem parte do seu habitat natural, a Laurissilva.


A equipa do Centro Ambiental do Priolo agradece a todos os professores e alunos que estiveram presentes nestas atividades, pelo interesse demonstrado e pela colaboração.


O nosso muito obrigado e até breve!